Rual Alvarenga, 806 - São Paulo - Próx. Metrô Butantã
+55 11 99417-6482

A Tradição da Magia

A Magia, principalmente durante e após a Idade Média (Era das Trevas segundo denominam os historiadores), recebeu uma conotação negativa, associada ao culto de demônios e às práticas de sacrifícios e orgias. Foi chamada de feitiçaria, bruxaria e até foi palco de assassinatos através da Santa Inquisição.

Mas nem sempre foi assim! A Magia e suas diversas vertentes como a Cabala, a Alquimia e o Xamanismo, foram as primeiras manifestações de reconhecimento entre o humano e o Divino, ainda na pré-história, sendo praticada através de cultos à natureza, desenvolvendo no homem o respeito ao equilíbrio de suas ações.

Do ponto de vista funcional e simplificado, a Magia é o Instrumento ou o Meio por onde as diversas facetas da energia Divina, incluindo Espíritos e Seres Naturais, podem ser ativadas e direcionadas para um fim determinado.

Ela também serve de base concreta (não dogmática ou unilateral) para a evolução consciencial do Ser consigo mesmo, para com o meio em que vive e para com todo o resto da Criação.

O texto continua depois do banner.
Teste de QI Espiritual

Sua natureza em si não pode ser classificada como boa ou má, pois isso não existe no fundamento da Criação, porém, sua prática pode levar à harmonia ou desarmonia nos meios onde é empregada, de acordo com as motivações e aplicações de seu ativador, assim, surgindo a noção de Magia Branca e de Magia Negra. É importante ressaltar que em Deus, Criador de Tudo, não há um sentido maléfico ou injusto, mas apenas funções reguladoras de Sua Criação, como por exemplo, para o corpo humano a destruição e trituração de um alimento não é um ato de maldade, mas sim, uma necessidade de transformação de um alimento em partículas menores, culminando na matéria-prima à vitalização do corpo físico. Assim, chegamos a duas constatações:

  • Deus tem dois lados, um que nutre ou incentiva e outro que dá limites. Dentro da dose equilibrada, estes dois lados têm o propósito de serem agentes das transformações necessárias, levando o indivíduo sempre para o bem.
  • Quando usamos demais ou de menos esses dois lados, entramos em desequilíbrio e transformamos algo Divino em energias destrutivas: isso é o mal!

O “mal” está na ignorância e má utilização humana daquilo que é Divino, e sob hipótese alguma, o “mal” seria algo criado por Deus. Toda vez que usamos as energias de maneira desequilibrada (a mais ou a menos), estamos causando um mal.

Mas voltando à Magia, existem vários sistemas mágicos cujos ensinamentos se dedicam ao esclarecimento deste ponto de equilíbrio, ou caminho do meio como diria Buddha. Um destes caminhos é o Arcangelismo, ensinado pela Casa de Miguel.

A Magia é um caminho abrangente em sua aplicação, tem a função de esclarecer gradativamente nossa origem e nosso caminho, enobrecendo nosso caráter, instruindo-nos e dotando-nos de ferramentas poderosas de harmonização entre todos os espíritos (encarnados e desencarnados), além de promover ordenadamente o intercâmbio entre as diferentes realidades e vias de evolução dos seres existentes.

 

WhatsApp Pergunte pelo WhatsApp