Publicado em

REACT: Vida Após a Morte

Vida Após a Morte Netflix

ATENÇÃO, ESSE TEXTO CONTÉM SPOILERS!

A série Vida Após a Morte (em inglês Surviving Death) está disponível na Netflix desde janeiro de 2021. É um documentário sobre experiências, crenças e experimentos tentando desvendar os mistérios do pós-morte e da mediunidade.

Um dos fatores que mais chama a atenção e ao mesmo tempo reconforta é que, em nenhum momento a produção é absurda, mórbida ou assustadora. A série realmente tenta responder a uma das dúvidas mais antigas da humanidade: o que acontece quando morremos.

A Vida Após a Morte , que é baseada em um livro best seller assinado pela jornalista Leslie Kean, conta com entrevistas com cientistas, médiuns e psiquiatras para investigar e tentar encontrar explicações e razões para as famosas experiências espirituais.

Além da própria jornalista, o documentário traz pesquisas inovadoras com relatos de médiuns, médicos, pesquisadores (científicos ou não) e pessoas reais que vivenciam essas experiências.

A produção conduz os espectadores em uma viagem extraordinária por um mundo além da existência humana que conhecemos, confrontando a mortalidade. O que nos leva a um caminho para explorar a possibilidade de que a consciência possa viver depois que o corpo morre. 

No episódio inicial, o debate é sobre as experiências de quase morte e de pessoas que morreram e, após uma intervenção médica, conseguiram voltar à vida. O estudo desse caso vem sendo o centro de pesquisas de médicos do mundo todo, que relatam as mesmas visões experienciadas por todos os pacientes.

A questão, portanto, é a dificuldade da continuidade de estudo, sendo que o que os pacientes presenciaram aconteceu após o cérebro já ter parado o seu funcionamento.

É interessante como a produção traz personagens que, mesmo presenciando essas questões, seguem com a falta de crença, mostrando ser algo que está além do entendimento humano.

Nos outros episódios, ressaltando mais uma vez que sempre há o envolvimento de médicos, pesquisadores e da ciência em um geral, vemos também a morte sendo retratada com a existência de médiuns, que fazem a intermediação entre a pessoa falecida, os familiares e amigos.

E vemos também casos de crianças que, antes mesmo dos cinco anos de idade, começam a relatar quem eles eram nas outras vidas, dizendo informações extremamente precisas e impossíveis de serem do conhecimento de alguém com tão pouca vida. E que inclusive os pais e pesquisadores comprovam as informações trazidas por essas crianças através de pesquisas e contatos com a “antiga família”.

A produção não tenta forçar ao espectador uma verdade absoluta, mas aborda dados que, mesmo com provas, deixam a questão em aberto para que cada um tire as suas próprias conclusões.

Contudo, sabemos que a vida não acaba com a nossa morte carnal. A morte é apenas um fenômeno biológico, nosso espírito é imortal. Somos seres em constante evolução e nos encontramos nesse momento num ciclo encarnatório.

Os seres humanos estão no processo de reencarnação para acelerar o contato com todas as experiências que precisam ter para evoluírem. Já que o objetivo é elevarmos nossa consciência e nos juntarmos a Deus, é necessário sentirmos na pele todos os lados de todas as moedas.

Em outras palavras, é vivenciarmos de fato todos os problemas, realidades, dores e prazeres que um ser humano pode ter e assim termos empatia e conhecimento para ajudar o próximo.

Para finalizarmos, o mais gratificante de tudo é a forma na qual esses assuntos são retratados na série, pois não passam medo, pânico ou terror. Tratando a morte como algo que não deve ser temido e traz esperanças de que a vida não acaba a partir do momento em que o corpo para de funcionar.

Assista também o React de Vida Após a Morte pelo FacebookInstagram e Youtube! Todo mês analisaremos um filme novo, não deixe de acompanhar!