Código de Ética da Magia Divina

IMPORTANTE

É de suma importância que nossos alunos e interessados saibam que existem muitos cursos sendo ministrados com nomes semelhantes aos utilizados pelo sistema da Magia Divina e que infelizmente não fazem parte do conhecimento genuíno trazido ao plano material pelo Mestre Seiman Hamiser Yê, através do Mestre encarnado Rubens Saraceni.

Para que o público em geral possa distinguir dentre tantos anúncios, o Colégio Tradição de Magia Divina dispõe de um sistema de Credenciamento dos Magos Instrutores que foram formados pelo Mestre Rubens Saraceni.

Para todos os cursos ministrados, os instrutores da Casa de Miguel Arcanjo primam pela transparência e não se valem de conhecimento superficiais ou incorretos sobre os temas aos quais nos propomos a ensinar.

Ensinar é coisa séria, pois, o que está em questão é justamente a vida e a consciência de pessoas que nos foram colocados sob nossa tutela pelo Divino Criador.

O Credenciamento é identificado por um código, que pode ser verificado junto ao Colégio Tradição de Magia Divina em caso de dúvidas (http://www.colegiodemagia.com.br/nucleos-de-magia/nucleos-de-magia-iniciacao). Veja na lista abaixo:

– Daniel Souza – M.I. 536
– Suely Cyrino – M.I. 765
– Álvaro Cândido – M.I. 821
– Franciely Silva – M.I. 971

Para que melhor compreendam, segue abaixo o texto integral sobre os Princípios Fundamentais colocados pelo Colégio Tradição de Magia Divina, aos quais todos os Magos Instrutores juraram seguir integralmente.

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

São princípios e bases fundamentais a serem observados pelos Magos(as), iniciantes, consagrados e reconhecidos por este Código de Ética:

Da integridade – Todo Mago (a) deve agir conscientemente e em conformidade com os princípios e valores estabelecidos neste código e nas normas estipuladas pelo Colégio de Magia Divina e seu Regente encarnado no plano material;

Da aceitação – Os Magos (as) iniciados e consagrados na Magia Divina compreendem, aceitam e concordam em contribuir para a semeadura, expansão e sedimentação do conhecimento e aplicação da Magia Divina no plano material ao maior número possível de pessoas;

Do interesse pessoal – É interesse pessoal de todo Mago (a) estimular cotidianamente seus níveis de consciência sobre suas funções ímpares na criação, buscando o conhecimento de modo a assimilar plenamente o real significado do ser Mago diante do Criador e seus Divinos Tronos;

Da imparcialidade – O Mago (a) deve abster-se em tomar partido no exercício de suas funções, desempenhando-as sempre de forma imparcial, simples, harmoniosa e objetiva em conformidade com ensinamentos recebidos;

Da transparência – Todas as ações e decisões do Mago (a) no tocante ao atendimento a irmãos necessitados, devem ser silenciosas e em acordo com os ensinamentos recebidos, não sendo permitido em hipótese alguma a alteração do conteúdo ensinado nem mesmo inserido contextos religiosos, místicos, esotéricos, exotéricos ou de qualquer outra natureza que não os recebidos e entendidos como consagrados pelo Mago (a);

Da honestidade – Todo Mago (a) deve buscar a honestidade em seus atos consigo e com seus assistidos dando credibilidade ao seu potencial magístico outorgado, uma vez que o mesmo recebeu seu grau das Divindades, não sendo admitido em hipótese alguma ao Mago (a) usar o nome do Colégio, seus Regentes, ou mesmo iniciadores na justificativa de seus atos;

Da responsabilidade – Todo Mago (a) é responsável por suas ações e decisões perante seus Mestres de Magia sendo que o Colégio Tradição de Magia Divina sempre poderá exercer tutela sobre suas práticas, devendo prestar esclarecimentos, bem como a sociedade civil, conforme dispuser lei ou regulamento;

Dos resultados – Não é permitido em hipótese alguma ao Mago (a), verbalizar a quem quer seja, promessas de qualquer ordem, comprometendo com isso a Magia Divina;

Da retidão – Deverá o mago (a) agir sempre com retidão e objetividade, inspirando segurança e confiança na palavra empenhada e nos compromissos assumidos perante a Divindade durante suas iniciações;

Do respeito – O Mago (a) deve sempre observar a regulamentação do Colégio de Magia Divina no tocante as suas obrigações para consigo, bem como, no que tange ao atendimento público, não sendo permitido o contato físico aos consulentes durante o atendimento em hipótese alguma;

Da divulgação – É proibida a divulgação de qualquer material didático recebido pelo Mago(a) sem suas iniciações, assim como qualquer informação sobre seus fundamentos, atendendo com isso a Lei do Silêncio dos Mistérios Divinos;

Dos atos discriminatórios – Todo Mago (a) deve tratar seus semelhantes com atenção, igualdade, harmonia, paz e amor sendo vedada e terminantemente proibida qualquer distinção de credo, raça, gênero, posição econômica ou mesma social;

Da competência – O Mago (a) deve sempre buscar a excelência em seus atos com praticidade, simplicidade e cordialidade no exercício de suas atividades, ou seja, deve buscar por todos os ângulos desenvolver o seu potencial magístico mantendo-se atualizado quanto aos conhecimentos e novas informações necessárias. A base para essa atualização sempre será aquela adotada nos livros publicados pelo Regente original e a constante prática de suas ativações magísticas.

3 comentários em “Código de Ética da Magia Divina

  1. EU GOSTARIA DE SABER SE ESSES CURSOS SÃO MINISTRADOS AQUI NO RIO DE JANEIRO TAMBÉM, QUAL ESCOLA ? OU SOMENTE EM SÃO PAULO.
    EU GOSTARIA DE SABER MAIS MAIS SOBRE O ASSUNTO.
    AGRADECIDA.

Deixe uma resposta

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.