O que é ser Espiritualista Universalista?

Muitas pessoas utilizam a denominação Espiritualista ou Universalista para se definirem religiosamente de uma maneira diferenciada do espírita, do umbandista, do católico, do evangélico e de outras denominações.

Buscando ampliar a compreensão do termo, vamos investigar mais a fundo os significados dos termos, para então apoiar o conceito que utilizamos na Casa de Miguel Arcanjo.

Espiritualismo é uma denominação comum a várias doutrinas filosóficas e/ou religiosas, e tem como fundamento básico a afirmação da existência do espírito (ou alma) como elemento primordial da existência, bem como sua independência e primazia sobre a matéria. É o contrário de materialismo, que só admite a existência da matéria. Estão presentes no Espiritualismo Moderno os conceitos de karma e reencarnação.

Universalismo é a crença doutrinária de que todos os humanos estão destinados à Salvação Eterna, em virtude da Bondade de Deus e que existe um Deus Único para todos independentemente de Religiões.

Portanto denominar-se Espiritualista Universalista é especificamente congregar de uma corrente de pensamento não-religiosa e anti-materialista, focada nos estudos de diversas religiões, bem como dos estudos científicos, psicológicos e filosóficos, a fim de que cada um faça sua síntese pessoal a partir de suas próprias experiências.

É importante ressaltar que essa corrente de pensamento não deve ser tomada como uma “mistura mística”, “colcha de retalhos”, nem tão pouco uma “salada esotérica”, pois não se restringe a apenas “conhecer” os diversos pontos de vistas e sim algo mais profundo, mais consciencial, mais íntimo, experienciando em sua própria vida cada gota de ensinamento, para que se torne “sabedoria interior”.

Entretanto, essa condição de liberdade consciencial e independência espiritual exige um certo nível mínimo de cultura geral, de conhecimentos, de autoconhecimento e principalmente de autoestima elevada para que o indivíduo não se perca diante de tantas possibilidades ou caia no simplismo de “se apegar a uma crença, seja ela qual for”. Pertencer a um grupo espiritual não é apenas uma questão de se sentir bem, pois você pode se sentir bem e não evoluir em nada ao mesmo tempo.

Um grupo produtivo, que visa a evolução, tem que ser baseado na diversidade e é nesse contexto que entra a Casa de Miguel Arcanjo, por ser um Templo que proporciona um ambiente onde “várias línguas” se conversam e aprendem, sempre sob a orientação de dirigentes experientes e entidades espirituais que usam uma linguagem clara e assertiva.


Um pouco de História

– A crença na existência uma alma ou espírito, além de seres extrafísicos, surge primeiramente nos fins do período Paleolítico (há cerca de 22 mil anos a.c.), expressa pela prática de rituais de fertilidade feminina, sepultamento dos mortos e nos cultos aos ancestrais.

– Esses cultos e rituais permaneceram presentes nas civilizações do período Neolítico em diante:

– A francesa Joana d’Arc (1412-1431) afirmava ouvir “vozes sagradas” desde menina e entre elas destacavam-se as de São Miguel, Santa Catarina e Santa Margarida de Antioquia, que a incentivavam a lutar contra os ingleses.

– Giordano Bruno, na obra “Il Candelaio” 1582, regista a sua convicção da possibilidade de conversar com os mortos.

– John Dee (1527-1608) foi um matemático e astrólogo inglês que testemunhou a comunicação com os anjos através de médiuns.

– Jakob Böhme (1575-1624) foi um filósofo e místico luterano alemão que passou por experiências espirituais em toda a sua juventude, culminando em uma epifania no ano de 1600 que teria lhe revelado a estrutura espiritual do mundo, assim como as relações entre o Bem e o Mal. As suas ideias conquistaram muitos seguidores em toda a Europa e os seus discípulos ficaram conhecidos como os boehmistas.

– Emanuel Swedenborg (1688-1772) foi um cientista e filósofo sueco que durante 25 anos redigiu 14 trabalhos de natureza espiritual. Ele é considerado o pai do Espiritualismo Moderno.

– Franz Anton Mesmer (1734-1815) descobriu o que chamou “magnetismo animal“, também referido como “mesmerismo“.

– Justinus Kerner (1786-1862) publicou em 1830 o relato de suas observações sob o título “Die Seherin von Prevorst, Eröffnungen über das Leben – Menschen und über das Hineinragen einer Geisterwelt die unsere” (“A vidente de Prevorst, considerações iniciais sobre a vida interior do ser humano e a intervenção de um mundo dos espíritos no nosso”).

– As irmãs Fox – Catherine “Kate” (1838–1892), Leah (1814–1890) e Margaret (1836–1893). Em 1848 a família começou a ouvir sons de pancadas inexplicados. Kate e Margaret realizaram sessões de canalização numa tentativa de contato com a suposta entidade espiritual que promovia os sons e declararam ter estabelecido contato com o espírito de um mascate que fora alegadamente assassinado e enterrado sob a casa. Um esqueleto, posteriormente encontrado na cave pareceu confirmar isso. As irmãs Fox tornaram-se imediatamente em celebridade. Suas demonstrações de comunicação com os espíritos incluíam principalmente batidas e pancadas e Kate tinha também a mediunidade de escrita direta, psicofonia, luzes espirituais, materialização e poltergeist.

– Andrew Jackson Davis (1826-1910) sem qualquer educação científica foi capaz de produzir livros muito complexos para a sua época. Ditava os seus textos enquanto se encontrava em um estado de transe profundo e adquiriu nos Estados Unidos uma reputação de médium e de magnetizador.

– Na França, o professor Hippolyte Léon Denizard Rivail (depois chamado de Alan Kardec) interessou-se pelo moderno espiritualismo quando ouviu falar das Irmãs Fox, mas o seu primeiro contato com o fenômeno foi por meio das mesas dançantes ou mesas girantes, dos salões de Paris, em 1854. As explicações para a causa deste, do mesmo modo que o sistema filosófico delas derivado, constituiu a base da chamada Doutrina Espírita (que Rivail também denominou como “espiritismo”, tendo sido a primeira oficialização desse termo, por isso a doutrina espírita é o único verdadeiro espiritismo).

– Atualmente a Parapsicologia vem investigando fenômenos paranormais, como a reencarnação. Um expoente dessas pesquisas é o professor Jim B. Tucker da Universidade da Virgínia (EUA).


A Casa de Miguel Arcanjo pratica o Moderno Espiritualismo Universalista.

Esperamos que este artigo tenha lhe dado uma visão maior sobre esse processo filosófico da crença no lado espiritual e metafísico e também que tenha lhe rendido muitas horas de estudos pormenorizados para cada link deixado ao longo do texto.

Grande abraço,

Daniel Souza

Deixe uma resposta

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.