Animais e a senda evolutiva: A Saga da Baleia – Parte I

Vou relatar uma experiência que ocorreu com uma pessoa próxima, onde abordarei alguns fatos que nos ajudaram a ter uma outra visão da senda evolutiva dos animais.

Nós, os encarnados temos a nossa missão para realizar, que nem sempre é clara e muito menos fácil de aceitação e concretização.

E quando nos deparamos com algo novo, “inexplicável”, sem solução; é comum desesperamos, querer desistir de tudo e de todos. Mesmo tendo ao nosso lado os incansáveis guias/mentores e protetores; nós os ignoramos achando que eles “viraram” as costas para nós, que estamos sozinhos e perdidos.

O medo do desconhecido traz à tona o nosso lado instintivo, que nos impede de compreender que as mazelas são na realidade uma mudança de fase na nossa evolução. Ou não é fato que, quando se está dentro do olho do furacão não conseguimos entender com clareza o que está havendo. Quando a poeira assenta, passamos a ter uma outra ideia e muitas vezes concluímos que “não era bem assim”. E é por esse motivo, que a cada degrau, somos dotados de aparatos que nos possibilitam trilhar a jornada de forma mais harmônica e equilibrada.

E é num momento desse que a nossa personagem Baleia entra em ação. Ela foi a ferramenta que irá dar sustentação ao nosso amigo Pedro na sua jornada. Mas como assim? Um animal pode ser um instrumento divino? O que ela pode fazer? Calma, vou fazer um breve comentário sobre essa figura e ao final do texto, as indagações serão esclarecidas.

Não querendo dar spoiler, mas os animais de estimação tem uma participação importante na evolução humana.

Baleia é uma SRD (uma cadela sem raça definida) que foi adotada quando tinha três dias de vida. Sim três dias!!! Não tinha nem aberto os olhinhos; era de porte grande – cruzamento de fila com rottweiler (e totalmente antissocial). O seu dono, o Sr. Pedro, era muito dedicado e cuidou do “bebê” como se fosse uma filha, dando muito amor e carinho. A convivência deles foi de apenas 06 anos, pois um ataque cardíaco transformou “bebê” numa estrelinha.

Mesmo se passando alguns anos da dolorosa separação, Pedro nunca esqueceu do seu “bebê” e sempre que ficava triste ou aborrecido, era nela que ele pensava para superar as adversidades do dia a dia.

Bom, já conhecemos um pouquinho da história da Baleia, vamos retomar ao nosso amigo Pedro, que estava passando por um momento da sua senda evolutiva que o desestruturou por completo e ele perdeu a fé e a vontade de viver, de tão impactante e inexplicável era a realização da sua missão. Ele estava mudando de fase, mas não compreendia e muito menos aceitava.

Seus amparadores espirituais, vendo seu desequilíbrio e como já tinham tentado de tudo e nada o tirava a vontade de desistir, eles tomaram uma decisão: localizar Baleia no plano espiritual e colocá-la ao lado de seu antigo companheiro humano.

Ver seu “bebê” novamente ajudou o nosso amigo Pedro a se reequilibrar e dar continuidade na sua missão, que estava apenas começando.

Mas onde estava Baleia? Existe um “Céu” para animais? Isso caro leitores iremos discorrer no próximo texto e aguardem, pois teremos muita informação interessante.

Um abraço e até a segunda parte!

 

Nota explicativa: a nossa jornada evolutiva é acompanhada por um grupo de espíritos que nos orientam desde do momento que nós decidimos encarnar. É composto pelos nossos guardiões, guias/mentores. O objetivo com o texto é compreender melhor a participação dos animais de estimação nessa jornada. Posso falar mais um pouco desse conselho espiritual num outro texto, se vocês, caro leitores, considerarem o tema relevante.


Edilce Albrez

Terapeuta Residente da Casa de Miguel

Para marcar um atendimento Presencial ou Online com a Edilce, entre em contato agora conosco pelo 11 3721-2479.

Especialidades: Mandalas da Magia Divina, Terapia em animais domésticos*, Intuição, Pêndulo, Aura Meter, Bastão de Cristal e de Atlante.

Horários: Segundas às 14h, 15h, 16h e 17h

7 comentários em “Animais e a senda evolutiva: A Saga da Baleia – Parte I

  1. Fiquei muito emocionada, pois é um assunto muito importante para mim.Venho buscando respostas sobre o que acontece com nossos cães quando partem, desde ” sempre “. Sou veterinária e tenho loucura por cães. Estou em tratamento de Depressão e Pânico há alguns anos, e quando estava em plena crise, no momento mais difícil da doença, perdi no dia 15 e no dia 18, respectivamente, minhas duas cadelinhas, que não desgrudavam de mim. Até hoje me pergunto: POR QUÊ ?

  2. Boa tarde Edilce!

    Acabei de perder o meu Bebê, mais precisamente no último dia 29, para um câncer que foi devastador.
    Ele tinha aproximadamente 12 anos de idade, não sabemos ao certo pois veio da rua. Lutamos muito, mas não conseguimos.
    Estou arrasada.
    Aguardo ansiosamente seu próximo texto.

  3. Adorei Edilce !!
    Estou curiosa e ansiosa por mais capítulos ….
    Muito linda essa sua homenagem aos nossos fieis amigos de quatro patas.
    🙂

  4. Parabéns Edilce…
    Muito bom o teu texto .. Muitas pessoas não conhecem esta área e esclarecimentos sempre são bem vindos.
    Acredito muito no teu trabalho e sei que tua dedicação te conduzirá a planos cada mez mais elevados.

    Att Moacir

Deixe uma resposta

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.