A Páscoa é Cristã ou Pagã?

  • A palavra “páscoa” vem do hebreu”Pesach” que significa passagem.
    O povo Judeu  iniciou sua tradição pascal, celebrando a travessia pelo mar vermelho, liderados por Moisés, deixando a escravidão rumo à terra prometida. Essa libertação coincidiu com a primavera, que ocorria no mês hebraico (nissan) que corresponde mais ou menos aos últimos dias de Março e meados de Abril.

Êxodo: “E este dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao SENHOR; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo” (Êxodo 12.14).

A tradição cristã veio posteriormente, em referência a passagem de Cristo pela morte e a sua vitória sobre ela através da ressurreição.
A relação da páscoa cristã com a comemoração judaica, ocorreu porque a Paixão de Cristo teria acontecido no início do Pesach; segundo os cristãos, Jesus teria dado um novo significado à Páscoa, a “boa nova”.
A data é comemorada anualmente no primeiro domingo após a primeira lua cheia que ocorre no início da primavera (no Hemisfério Norte) e do outono (no Hemisfério Sul),  sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.
Embora exista todo esse fundamento tradicional nas religiões judaico-cristãs, historicamente é sabido que o cristianismo adotou muitas práticas, costumes e símbolos  de outras religiões, fato esse, que ocorre comumente entre religiões ao longo dos processos históricos por vários motivos, principalmente pela busca de poder e controle.
Historiadores encontraram informações sobre uma festa de passagem, no mesmo período, que era comemorada entre povos europeus há milhares de anos. Isso ocorria principalmente na região do Mediterrâneo, onde algumas sociedades, entre elas a grega, festejavam a passagem do inverno para a primavera durante o mês de Março. Geralmente, esta festa era realizada na primeira lua cheia da época das flores. Entre os povos da Antiguidade, o fim do inverno e o começo da primavera eram de extrema importância, pois estavam ligados a maiores chances de sobrevivência em função do rigoroso inverno que castigava a Europa, dificultando a produção de alimentos.

 

 

 

 

 

 

Coelho da Páscoa?

Na antiguidade, devido ao alto índice de morte, o coelho era visto como símbolo de fertilidade, pois reproduz-se rapidamente e em grande quantidade, questão de preservação da espécie. Daí a incorporação, primeiro dos ovos de galinha, depois, atendendo às demandas socioeconômicas, os ovos de chocolate.
Infelizmente o verdadeiro significado perdeu-se.

O fato é que as comemorações de páscoa são muito anteriores às religiões atuais, tudo o que a sociedade hoje chama de tradicional, historicamente é apenas novidade, ou uma releitura de costumes mais antigos, apelidados pejorativamente como pagãs, praticantes de feitiçaria, magia negra, amarrações, etc.
Todos os significados atrelados à essas comemorações, independente de suas vertentes religiosas, são ricos e belos e trazem em si uma reflexão de elevação espiritual que a humanidade carece.
A máxima da páscoa no entanto, em qualquer tempo e credo, é a passagem, o início de um novo ciclo e a mensagem de vitória sobre a adversidade, contando para isso, com apoio superior… divino.

Entre em contato com a Casa de Miguel Arcanjo, participe de nossas atividades.

Whatsapp 9-6944-4019

 

 

 

Deixe uma resposta

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.