Publicado em

Você conhece todos os tipos de Mediunidade?

Tipos de Mediunidade

No último post explicamos o que é e porque desenvolver a mediunidade. Mas existem vários tipos de fenômenos mediúnicos que vão desde os mais sutis até os de efeitos físicos. 

Existem fenômenos considerados paranormais e outros realizados por espíritos. Um fenômeno mediúnico só pode assim ser considerado apenas quando uma entidade espiritual realiza algo através de um encarnado, um mediador.

Quando um espírito realiza uma ação direta na matéria, devemos chamar de fenômeno espiritual ou poltergeist. E quando um encarnado realiza uma ação diretamente no lado espiritual, devemos chamar de fenômeno anímico ou paranormal.

Todos esses processos caminham em conjunto, se misturam e seria infrutífero tentarmos definir ou limitar suas manifestações. Para fins didáticos vamos dividi-los em três tipos:

Fenômenos a partir do Médium

  • Telepatia: faculdade em que o médium recebe imagens ou pensamentos emitidos por um encarnado ou desencarnado. Pode ser confundido com intuição mas na verdade é “perceber” uma informação produzida por outra pessoa e não trazida pela sua conexão divina.
  • Clarividência no Ambiente: Visão extrafísica onde o médium percebe fatos ocorridos no local.
  • Clarividência no Espaço: Visão extrafísica onde o médium vê cenas, objetos, sinais ocorridos em um local diferente do que está.
  • Clarividência Direta: Visão extrafísica com olhos abertos, sobreposta às informações físicas.
  • Clarividência Indireta: Visão extrafísica com olhos fechados, dentro da mente como uma imaginação, deixando o físico em segundo plano.
  • Clarividência Arquetípica: Visão extrafísica de cenas ou imagens que representam algo, que trazem uma informação que ainda precisa ser interpretada metaforicamente, como uma tradução. A visão é apenas uma representação de sentimentos ou condições reais.
  • Clariaudiência: Audição extrafísica onde o médium ouve, com seus ouvidos, vozes e sons emitidos por espíritos. Os sons podem prover do local onde o médium está (clariaudiência no ambiente) ou de lugares distantes (clariaudiência no espaço).
  • Claricinestesia: Sensibilidades extrafísicas correspondentes ao tato, olfato e paladar. É a capacidade de sentir presenças sem vê-las ou qualquer outra perturbação energética. Em casos extremos pode gerar arrepios, dores chegando até a apresentar hematomas visíveis no corpo físico (somatização).
  • Psicometria: É a capacidade de ver, ouvir e sentir informações extrafísicas quando o médium toca, por exemplo, um objeto relacionado ao caso que deseja pesquisar. A partir do toque, o médium passa a receber informações que estejam impregnadas no objeto.
  • Premonição em sonho: Capacidade de acessar fatos que ainda não ocorreram mas tem forte potencial de realização durante o sono.
  • Premonição em transe: Capacidade de acessar fatos que ainda não ocorreram mas tem forte potencial de realização enquanto o médium está acordado, apenas em estado alterado de consciência.
  • Regressão: Capacidade de ver o passado. Acessar fatos ocorridos com você ou com outro. Pode acontecer durante o sono ou em transe.
  • Déjà Vu: Sensação de já ter experienciado aquele momento. O termo é uma expressão francesa que significa literalmente “Já visto”. Às vezes esse fenômeno pode ser despertado pela semelhança com situações ocorridas em vidas passadas.
  • Desdobramento Inconsciente: É um processo natural de exteriorização do espírito, um distanciamento entre o corpo físico e o espírito. Ocorre durante o sono, quando há condições favoráveis à saída do espírito. Ao retornar, todas as informações adquiridas nesse processo ficam guardadas em nosso subconsciente. 
  • Desdobramento Consciente: Processo natural de exteriorização do espírito, realizado por vontade do médium. Quando o espírito retorna, as lembranças permanecem no consciente. 
  • Desdobramento Mental: Projeção apenas do Corpo Mental, realizado por vontade do médium. Quando o espírito retorna, as lembranças permanecem no consciente. 
  • Desdobramento Astral: Projeção apenas do Corpo Astral, realizado por vontade do médium. Quando o espírito retorna, as lembranças permanecem no consciente. A interação com o lado espiritual é mais intensa.
  • Intuição: Percepção de uma verdade vinda diretamente da ligação entre o médium e Deus através do seu Eu Superior.

Fenômenos Mistos

  • Incorporação Semi-consciente: Fenômeno onde o espírito do médium é levemente afastado do seu corpo físico enquanto a entidade espiritual se conecta ao corpo do médium através de seus chakras e passa a usar com menor liberdade os recursos dos aparelhos físicos. O médium fica em semi-transe.
  • Incorporação Inconsciente: Fenômeno onde o espírito do médium é totalmente afastado do seu corpo físico enquanto a entidade espiritual se conecta ao corpo do médium através de seus chakras e passa a usar com total liberdade todos os recursos dos aparelhos físicos.
  • Telementação: Incorporação no Corpo Mental do médium. A entidade coloca a mente do médium em estado de inconsciência ou semi-consciência e exerce domínio sobre os campos físicos e psiquicos.
  • Psicografia Direta: Incorporação parcial de manifestação escrita. Onde o espírito comunicante utiliza-se do braço e mão do médium.
  • Psicografia Indireta: Realizada por um processo telepático em que as palavras passam pela mente do médium que as escreve.
  • Psicofonia: Semelhante a  Psicografia, porém o espírito utiliza-se da garganta e boca do médium ou passando informações mentais.
  • Pintura Mediúnica: Prática de incorporação em que o médium não possui necessariamente as habilidades trabalhadas pelo espírito.
  • Transfiguração: Trata-se de um recurso utilizado pelos espíritos que adormece e desliga parcialmente o corpo denso, relaxando centros nervosos e tecidos orgânicos, fazendo alterações no aspecto físico do médium, impondo sua forma astral.

Fenômenos de Ação Direta

  • Levitação: Fenômeno de pessoas ou coisas serem erguidas ao ar, sem auxílio exterior de caráter material. Na realidade, através de ações espirituais, o objeto é envolvido por fluídos pesados isolando-os do ambiente físico e das ações da gravidade.
  • Materialização: Trata-se do deslocamento físico de objetos dentro de um ambiente ou para fora dele. Procede-se uma desmaterialização no ponto de origem e rematerialização no ponto de chegada.
  • Tiptologia: Batidas ou sinais como movimentação de objetos como sinalização da presença de espíritos, como o Tabuleiro Ouija.
  • Ectoplasmia: Condensação de ectoplasma e fluído espiritual para aparições.
  • Voz Direta: Ao invés de falarem através de médiuns ou utilizar telepatia, os espíritos emitem sons através de um aparelho vocal produzido através da ectoplasmia.

Aqui na Casa de Miguel buscamos auxiliá-los a desenvolver esses principais fenômenos anímicos e mistos em cursos e vivências para nos tornarmos cada vez mais empoderados de nossas forças e assim compreender o universo à nossa volta.

Publicado em

REACT Divertida Mente

ATENÇÃO, ESSE TEXTO CONTÉM SPOILERS!

Mais um da categoria de filmes “nada infantis” da Pixar, hoje vamos falar sobre o filme Divertida Mente (Inside Out, em inglês). O longa, lançado na metade de 2015 e aclamado pela crítica, recebeu 97 prêmios! Entre eles um Globo de Ouro e um Oscar.

Como já visto em outros filmes, o Divertida Mente trata de assuntos para adultos, como o amadurecimento das emoções, inseridos em situações cotidianas.

O filme faz uma imersão no desenvolvimento de um ser humano e aborda questões emocionais trazendo conceitos sobre neurologia e psicologia. E relacionando com o que aprendemos aqui na Casa de Miguel, é gatilho puro para expansão do nosso autoconhecimento.

A princípio é retratada a história de Rilley, uma garota de 11 anos que enfrenta uma série de mudanças em sua vida. A principal delas foi sair de sua cidade natal, no estado de Minnesota (EUA), para morar em São Francisco. O enredo se desenrola dentro da cabeça da menina, onde cinco emoções – Alegria, Tristeza, Nojinho, Medo e Raiva – são responsáveis por processar as informações e armazenar as memórias.

No contexto do filme podemos tirar algumas conclusões.

As memórias são fixadas pelas emoções

Durante o filme, as cinco emoções acompanham tudo o que acontece com Rilley. Esferas coloridas, representam as memórias, guardam os principais eventos do dia. Cada uma delas tem uma cor que está relacionada com o sentimento que esteve presente no acontecimento. 

Isso corrobora com a percepção de que as lembranças são fixadas no cérebro junto com o estado emocional e com a forma que reagimos ao fato. Tanto que cada pessoa interpreta o mesmo fato de maneiras diferentes, pois depende do que cada um sentiu no momento registrado. 

Não existe sentimento melhor ou pior

Apesar de preferirmos os momentos alegres de nossa vida, cada emoção tem a sua importância. E é necessário saber usá-las da melhor forma possível diante dos desafios.

A tristeza também é necessária

A personagem Alegria tenta a todo momento ignorar e afastar a Tristeza e isso reflete a forma como a maioria das pessoas compreendem a vida. Como se precisassem estar felizes o tempo inteiro ao invés de trabalhar um equilíbrio e aceitação de todas as emoções que sentimos. A vida precisa de todas as emoções. 

O medo e o nojo são primordiais para nossa sobrevivência

Esses dois sentimentos nos livram de enrascadas. O medo nos desperta a segurança e o nojo desperta autopreservação (física ou social).

A raiva impede injustiças

Gritar não é a solução dos problemas, mas ouvir a raiva é externar indignações com o impulso de corrigir eventuais injustiças. 

Memórias podem ser apagadas

É natural que esquecemos certas recordações com o passar dos anos. Pequenos detalhes não utilizados. No filme, essas esferas vão parar num lixão até que virem poeira. 

Subconsciente é um esconderijo

Sendo consciente ou não, levamos nossos medos e traumas para um lugar específico de nossa mente onde guardamos tudo o que pode nos causar problemas.

Suas memórias e experiências define sua personalidade

Algumas recordações são de extrema importância pois determinam boa parte de nossas personalidades. No filme, chamadas de memórias base, cada uma delas define parte do caráter de Rilley. E esquecê-las pode ocasionar uma desconexão com quem você é.

Depressão é desconexão

A depressão inicialmente é uma ressignificação negativa de acontecimentos passados. Ou seja, passamos a interpretar o passado como algo doloroso para nós, como se o presente fosse inferior qualitativamente. 

Temos que aprender a sentir, perceber e aceitar. Compreender porque aquela emoção “apareceu” e ter sensibilidade para lidar com o motivo. Dessa forma você passa a ter controle emocional porque não ficará sofrendo ou remoendo uma emoção. Você identifica e age (mesmo que a ação seja se permitir chorar ou tirar um dia off dos problemas).

Assista também o React de Divertidamente pelo FacebookInstagram e Youtube! Todo mês analisaremos um filme novo, não deixe de acompanhar!